sexta-feira, 22 de abril de 2011

Saudades da linha 175 e a bagunça que o Eduardo Paes está fazendo nos transportes do Rio




         Estava pesquisando sobre o Gabriel Pensador e sobre a brilhante cantora Jocely Brown sobre as músicas Festa da Rua do Tupiniquim e Somebody Else guy e eis que achei um clip da música da linha 175 da também saudosa Amigos Unidos (embora seus últimos anos de vida não sejam nada saudosos). Neste vídeo que o Gabriel homenageia esta linha, mostra como era os ônibus no ano de 1994 onde o ex-prefeito Cesar Maia mudou o layout dos números de órdem colocando-os de maneira estéticamente ruím, mas sem acabar com as pinturas das empresas, embora ele também quisesse ao colocar os ônibus com a chamada cor canarinho, pintura esta inspirada nas pinturas padronizadas dos ônibus de Santiago, capital do Chile, mas que ele não levou adiante, reservando esta pintura as linhas expressas que faziam qualquer trajeto do Rio com destino ao Centro. O mesmo teve bom senso e não impôs isso as empresas, embora o layout que ele lançou na época eu nunca tenha gostado, pois ele enfeiava as pinturas das empresas que naquela época eram lindos, porém era tolerado. Custei a me acostumar com ele, mas aceitei, pois pelo menos a identidade visual das empresas foi mantida, garantindo assim que outros prefeitos não utilizassem isso como propaganda politica e ocultassem empresas corrúptas.
       Ja seu ex-discípulo, Eduado Paes fez exatamente o contrário, acabou com as pinturas das empresas e criou uma pintura padronizada horrível e com o único objetivo de confundir a população, pois a mesma além de ser muito feia oculta o nome das empresas e em alguns casos, até o número de ordem, enquanto que o logo da prefeitura parace bem grande, dificultando denuncias de maus serviços prestados pelas empresas e com claro objetivo de autopromoção politica deste prefeitinho. Não contente com isso, está mudando o número das linhas ônibus na cidade inteira, confundindo ainda mais a população de forma totalmente desnecessária.
         No começo esta mudança só atingia linhas com identificação provisória como Sxx (S11,S07,S08,S15,S20 e etc) ou suplementares e variantes de linhas principais. Agora até linhas com números definidos ha anos e que nunca foi problema para população ele mudou. Linhas como 175 ( razão do qual digo que ela é saudosa) agora se chama 308, sua variante linha Amarela, 314 ( até o começo deste ano, ela ainda chegou a se chamar 315, confundindo ainda mais a população), 179 agora é 309, 561 e 562 agora são respectivamente 161 e 162, a 756 agora é 803, 750 também mudou ( só não lembro o novo nome da linha) e várias outras mudanças que só estão servindo para confundir a população sériamente. Para que isso? para que mudar o que sempre funcionou? Qual o objetivo de se realizar estas mudanças que ainda por cima não são anunciadas a população com antecedência e nem os motivos das mudanças são justicaveis?
     Outro efeito provocado pela padronização e por esta licitação fajuta é a falta de conservação dos veiculos por parte das empresas. Antes da padronização, empresas como Pégaso, Alpha, Bangu, Sãns Pena e outras mantinham uma manutenção impecável em seus veiculos. Agora com a padronização estas mesmas empresas estão relaxando com a manuntenção dos mesmos. No caso da Bangu, o interior dos veículos estavam com fios pendurados e a caixa dos compressores das portas soltos e caídos, nos da Pégaso, os bancos estavam quebrados e o interior dos veículos extremamente sujos, porém o caso mais grave foi o da Alpha onde um onibus com pintura padronizada da linha 415 estava sem a janela de emergência de cima e que se caso chovesse os passageiros iam se molhar assim como se caisse pedra ou frutas das árvores poderia matar uma pessoa. Por que estas empresas estão fazendo isso? como agora a pintura é uma só, fica difícil denunciar ou mesmo identificar a empresa ao qual pertence o veículo mal conservado, diante disso elas aproveitam para relaxar e economizar custos com manutenção colocando os passageiros em risco. Sem a padronização isso não ocorreria, pois a empresa ruim seria facilmente identificada, facilitando a denuncia á imprensa e aos órgãos competentes e as que sempre prezaram pela manutenção continuariam investindo nela.
          Para se ter uma ideia de como isso tem irritado a população, é o fato de haver grande reclamação nas ruas, na internet e na mídia em geral. Vira e mexe os jornais das Organizações Globo como Extra e O Globo recebem reclamações sobre isso, a CBN ja deu destaque e vóz a ouvintes no CBN Rio onde até apresentador o Maurício Martins se mostrou contra a medida, até artigo naquela parte dos comentaristas convidados do setor de opinião do O Globo ja escreveram textos detonando a padronização este estado de coisas que o prefeito criou e até a Tv Globo no RJ Tv assim que ela foi lançada mostrando a arrogância do prefeito. Só estou citando os veículos das Organizações Globo, imagine o que deve ter saido no O Dia, no jornal capamga Meia Hora, no JB e outros. O único local onde ele não sofreu críticas, mas mesmo assim foi bombardeado depois foi na Rádio Globo onde o mesmo ofendeu a comunidade portuguesa dizendo que as pinturas dos ônibus e as latas de azeite português são coisas muito feias e que por isso impôs a padronização das pinturas dos ônibus, o que trouxe um tremendo mal está entre ele e a comunidade lusitana. Nas ruas é só irritação e reclamação. Há duas semanas atrás, no Largo do Machado vi um grupo de mulheres criticando ferozmente a padronização e ao ver isso, aproveitei e fiz coro com elas e ainda divulguei o abaixo assinado e os males desta medida impopular imposta por este prefeitinho. No final do ano passado, um motorista da S11 (358) também atacava a padronização onde eu também fiz coro e divulguei o abaixo assinado e o planfleto do mesmo. Esta medida é tão ruim que até os rodoviários são contra.
      Quanto a linha 175 e a empresa que operava, neste vídeo mostra o bom momento em que a Amigos Unidos e sua irmã, Mosa viviam, onde os ônibus eram novos, razoavelmente consevados e aonde a bagunça não imperava. No caso da Amigos Unidos, ela continua existindo com o nome de Translitorânea e com outro número de ordem, o 21000 e continua com as mesmas mazelas de quando ainda era Amigos Unidos com ônibus velhos e mau conservados mesmo tendo comprado alguns novos. No caso da mudança de número de linhas, no passado ela chegou a mudar o numero de uma única linha, a 174, em virtude daquela tragédia ocorrida ha quase 11 anos atrás, que nem preciso divulgar, pois todos sabem, por conta da perda de passageiros em função do ocorrido. Mais ao fazer isso ela divulgou antes na imprensa e nos próprios veículos da linha. Hoje esta linha se chama 158 ainda, se já não mudaram outra vez sem prévio aviso, como foi feita com tantas outras desnecessáriamente.
         Estas medidas estão sendo tão desgastantes para ele que no programa do PMDB ele nem as divulgou limitando-se a saúde aonde ele também não é bom, pois se divulgasse, a população cairia em cima dele. Ano que vem é ano de eleição, se vocês estão cansados desta sacanagem e de outras que este prefeito fez em outras áreas como a saúde e educação onde ele privatizou as mesmas através de organizações sociais, está cobrando indevidamente taxa de luz publica nas contas de luz sendo que a mesma ja era cobrada no IPTU, como a destruição de um condomínio e de uma área ambiental na Taquara para construção do BRT e da reserva do Pão de Açucar para construir prédios ( neste caso até o vice prefeito está conta ele), DIGA NÃO A ELE EM OUTUBRO DE 2012. E também participe do abaixo assinado ao lado deste texto. Vamos deter o mais rápido possivel a tirania e o autoritismo no Rio. Pensem nisso! E só!

16 comentários:

  1. Mais uma informação: a antiga linha 896 (Engenho da Rainha-Pavuna) da Pavunense e do consórcio Internorte agora é 946.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito o texto. Com relação ao tamanho do número de ordem, eu aprovei porque se identificou com mais facilidade qualquer coisa errada que, por acaso, houve. Também fiquei apreensivo com essa pintura amarela, onde, na época, tinha mais empresas com pinturas tradicionais como da Bangu, da antiga Auto Diesel, da Três Amigos, da Paranapuan, da Ideal, da Real e da Caprichosa.

    Lembremos que o Grupo TAU começava a sua decadência onde duvido que haveria mudança numérica se fosse a São Silvestre, a eterna creme/azul com a faixa vermelha debaixo da janela.

    O duro é que linhas de tradição estarão na mira como as linhas Jacarepaguá x Centro, 260, 284, 739, 741 e 743 onde algumas linhas da Zona Oeste deram adeus definitivo se lixando com os moradores da Avenida Joaquim Palhares em Campo Grande como do 815, por exemplo.

    Depois, eu sou taxado indiretamente em uma comunidade do Orkut de Fred Flishtone ou de Barney Rubble especialmente, com raríssimas exceções, do pessoal mais novo. Eu tinha 12, 13, 14, 16, 18 anos, vibrei com o lançamento do Padron Vitória, do Monobloco MB O-371 e do Thamco-Scorpion, mas, nunca me lixei com as coisas ligadas com a tradição como eu sinto que esse pessoal mais novo com raríssimas exceções. É um desabafo por ter dado simples opinião.

    ResponderExcluir
  3. Tem mais coisas a discutir: primeiro, ess abagunça de UMA empresa tendo VÁRIOS prefixos como em São Paulo onde alguns distorcem que foi adotado o critério das intermunicipais. Só que o caso da Rio Ita é bem raro, mas, aqui no Rio, seria a REGRA em especial na Zona Oeste.

    Quanto à Pégaso, fui taxado de antiquado por defender a cisão da empresa já que, com mais de 400, é muita coisa embora fosse contrário de cisões com da Bangu em 1995, mas, nesse caso, opinião de fora, dava ainda com 244 carros embora com frota surrada e portas dando esporro na época. Há uma história mal contada que não pode haver cisão. Se for concreto mesmo, seria uma IRRESPONSABILIDADE dessa gente.

    Para encerrar, até o vice-prefeito está se estranhando com ele? Hum...

    ResponderExcluir
  4. Realmente a padronização não está trazendo nenhum benefícios, nem mesmo a de limpeza visual, que tem que ser explorada é nas construções e não nos veículos públicos.
    Fiz uma postagem no meu blog há umas semanas falando sobre isso e apontando que todos os argumentos da prefeitura são incoerentes e não estão funcionando. Dá uma conferida lá também! http://otemizando.blogspot.com/2011/03/o-fracasso-da-prefeitura-na.html

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente, mais uma linha de tradição que eu conheci em 1988 com 12 anos de idade na saudosa CTC-RJ com os Caios-Gabriela II MB OH1313 foi atingida por esses "Modernos" da Prefeitura: 740 virou 856. E a linha da Feital/Padre Miguel? Os usuários ficam chupando dedo?

    Na boa, isto está uma sacanagem.

    ResponderExcluir
  7. DE acordo com a postagem do Rodrigo Salles no "Ônibus Em Debate" nos fotopages lá no Fetransrio de 2010, chega-se a uma conclusão de eles confessaram que fizeram essa encampação branca por motivos políticos.

    Concluindo: pode haver alguma esperança onde, se vier um outro grupo político, não seria surpesa se, por acaso, vier a DESENCAMPAÇÃO BRANCA nos moldes que ocorreu em Janeiro de 1988 no Governo do Estado.

    Se isso ocorresse (desencampação branca), eu ficaria tranquilo nos casos da São Silvestre e da Rubamérica porque, em 1988, a Real, a Vila Isabel, a Transportes América e a antiga Oriental re-adotaram as suas pinturas antes da encampação estatal. Por outro lado, a Redentor não adotou, mas, das independentes da Capital, foi só ela que não adotou pinturas antes da encampação estatal.

    Agora, nas empresas do Grupo Guanabara que tinham pinturas tradicionais, seria diferente porque a Jabour não adotou a saudosa pintura das barrinhas da Pégaso naquela época com direito de teste de pintura e tudo em 1988. Então, poderíamos se despedindo as pinturas da Matias, da Jabour e da Verdun.

    ResponderExcluir
  8. Mais uma linha que foi pro saco em definitivo com essas famigeradas renumerações desnecessárias: 886 - Santa Cruz x Jesuítas.

    Nos blog's "Menos Automóveis" de AF e "Fatos Gerais", coloquei mais comentários por essa absurda renumerações das linhas.

    ResponderExcluir
  9. Sobre o caso 886, o membro Mark da comunidade do Orkut "Busólogos do RJ", diz que o saudoso 886 não foi pro saco: é, atualmente, o 807.

    Como a coisa é confusa e impera a falta de critério: por que esse 807 não virou 886?

    ResponderExcluir
  10. Vejam a postagem hoje do busólogo/busófilo André Neves na comunidade "Busólogos do RJ" do Orkut:

    "Zona, falta de caráter, máfia de transportes, falta de respeito com o passageiro. Paulistização descarada. Bagunça. Sem exageros, quem vive o dia-dia dos ônibus é que sabe."

    E mais uma coisa: não estou defendendo o sr.César Maia onde, no seu primeiro mandato (1993-1997), ele foi taxado de elitista. Elitista é esse cidadão que está na Prefeitura hoje em dia onde me baseio do comentário acima que é uma clara intenção de confundir o cidadão de baixa renda.

    E outra coisa, esse Prefeito tirou o sarro dos paulistas porque a FIFA escolheu o Rio como local dos sorteios dos Grupos das Eliminatórias da Copa, entretanto, está imitando na maior cara-de-pau SP apesar de não importarem 4 algarismos no códigos das linhas. Não sei, não: essa rádio-leão deve ter certo fundo de verdade com essas palhaçadas sendo impostas.

    Agora, segundo uma postagem no fotopage "Ônibus Legal", o TRADICIONALÍSSIMO 780 é mais nova vítima desse pessoal da Prefeitura. Pra quê isso? Nesse caso específico, já virou PALHAÇADA.

    ResponderExcluir
  11. Segundo postagem na comunidade "Busólogos do RJ", retrato da falta de critério: 615 (ex-variante do 687). Por que não foi 681 ou 682? Prefixo 61x é na Grande Tijuca.

    ResponderExcluir
  12. Depois de Teresina e do Rio, agora, é João Pessoa adotar essa palhaçada. Link: http://www.fortalbus.com/2011/05/pb-frota-de-joao-pessoa-passara-por.html#comment-form

    ResponderExcluir
  13. SR - Versão "Moderna" de LInha "X" - Rápido

    Esse SR, mas, sinceramente, é um enfeite de pavão.

    Mais uma tradição que ruiu onde a palavra "RÁPIDO" indicava tal linha como rápido como foi o ameaçado 362 como era a indicação de uma capelinha abaixo da vista principal desde do padrão de 1994. Detalhe, no tempo da VALSA, os Amélias com a capelinha ainda, na capela lateral, estava a palavra "RÁPIDO" e, na boa, era muito mias prático (além do padrão de 1994) do que esse enfeite de pavão.

    ResponderExcluir
  14. As linhas que eram de C. Grande e S. Cruz, vieram parar aqui em Jacarepaguá. 816 antiga CG x Guadalupe, virou Taquara x Hosp. Cardoso Fontes (antiga 600); 815 que era Bangu x Palmares, virou Taquara x Hosp. Cardoso Fontes (antiga 601); 800 que foi Santíssimo x M. Hermes, virou Curicica x Freguesia (antiga 269); 886 que se eu não me engano era S. Cruz x Jesuítas e agora é Freguesia x BarraShopping e ainda tem a 860 que não lembro o itinerário antigo, mas que agora é Freguesia x Rio das Pedras (antiga 734)e a 880 que é Rio das Pedras x Recreio (antiga 702). Isso não tem cabimento algum. Impeachement nele!

    ResponderExcluir
  15. as empresas deveriam voltar com as antigas pinturas.

    ResponderExcluir
  16. pra que o Eduardo Paes fez isso? as pinturas eram legais.

    ResponderExcluir