sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

FASCISMO BUSÓLOGO: TROLAGEM TENTA DESMORALIZAR PETIÇÃO SOBRE TRANSPORTE



AMOSTRAS DA TROLAGEM QUE ADOTA ATÉ FALSIDADE IDEOLÓGICA PARA DESMORALIZAR BUSÓLOGOS.

Por Alexandre Figueiredo - Mingau de Aço

A busologia fluminense está na beira de um escândalo. Os defensores do projeto tecnocrático do secretário de transportes, Alexandre Sansão, resolveram reagir, comprovando seu nível de intolerância e de total falta de respeito humano.

Uma petição criada para reverter a padronização visual nos ônibus cariocas, que anda prejudicando muitos passageiros, através do endereço - http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N20634 - , foi invadida por mensagens ofensivas e zombeteiras por parte daqueles que querem atrapalhar as manifestações que levam em consideração o verdadeiro interesse público, aquele que não se resume a promessas de palanque ou propagandas governamentais.

As mensagens usam os nomes meu e de meu irmão, conhecidos na busologia pelo senso crítico e conhecimentos apurados sobre transporte e urbanismo, para "dizer" mensagens de baixíssimo nível. É o que se chama de falsidade ideológica.

O vandalismo teria sido comandado por um busólogo com atitudes agressivas. E isso, num ambiente em que a busologia fluminense sofre sua pior fase, com discordâncias violentas entre dois grupos, num processo de divisão cujo responsável indireto é o grupo político de Eduardo Paes e Sérgio Cabral Filho.

Isso porque os dois "garfaram" uma parte da busologia para apoiar o projeto do secretário de Transportes de Paes, Alexandre Sansão, o que causou um "racha" entre os busólogos. Isso porque os busólogos que passaram a apoiar o lamentável projeto de padronização visual dos ônibus cariocas e sua estampa de "embalagem de remédio" viram no apoio uma ótima oportunidade de conseguir posições político-administrativas dentro da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Mas nem todos estão envolvidos nessa trolagem, e admite-se que vários desses defensores adotam posturas bastante equilibradas para justificar seus pontos de vista. O problema estaria, na verdade, num busólogo de atitudes agressivas, que já havia comprado brigas com um grupo de busólogos.

Esse busólogo, que adota um discurso "conciliador", estaria, por debaixo dos panos, arranjando internautas para, numa atitude clandestina, espalhar desordem e desmoralização, para desqualificar quem não concorda com seu ponto de vista.

A atitude, do mais violento caráter fascista e do mais puro desrespeito humano, pode botar a causa defendida pelo tal busólogo a perder. Esse reacionarismo não é novidade, e até José Serra, o ex-presidenciável do PSDB, também se armou de troleiros para provocar desordem nos fóruns de Internet.

Isso mostra o quanto o reacionarismo extremo, quando se expõe, mostra o caráter nefasto de uma causa. E o quanto a politicagem por trás da busologia pode revelar episódios sombrios como este. Convém investigar o caso, que é de extrema gravidade.

Nota: este episódio já foi comunicado para Adamo Bazani, conhecido busólogo e jornalista.