sábado, 16 de abril de 2011

PADRONIZAÇÃO VISUAL IRRITA PASSAGEIROS NO RIO DE JANEIRO


CONFUSÃO À VISTA - EMPRESAS NOVACAP (E) E ESTRELA OSTENTANDO O MESMO VISUAL.

O amigo Leonardo Ivo, parceiro deste blog, anda pelas ruas do Rio de Janeiro e por isso pode ver a revolta imensa da população contra o projeto de padronização visual dos ônibus do Rio de Janeiro, que anda obrigando os passageiros a redobrar a atenção, principalmente à noite, para não perder o ônibus errado.

A irritação não atinge somente os usuários, mas também os rodoviários, que começam a experimentar a lógica de trabalho "importada" de Curitiba, em que a categoria é submetida a uma rotina opressiva de trabalho, que na capital paranaense já fez vários motoristas sofrerem mal súbito no volante. Numa vez, isso causou um acidente no centro de Curitiba, com dois mortos.

A irritação chega ao ponto da população ver na dupla Eduardo Paes e Sérgio Cabral Filho dois demagogos. Afinal, eles até agora não cuidaram dos serviços de educação, péssimos, de saúde, calamitosos e de moradia, desastrosos. Tanto que, meses depois da "histórica" expulsão de traficantes da Penha, quadrilhas ainda continuam agindo em Manguinhos e Maré, e não é impossível que eles invadam a Vila Cruzeiro e criem novo posto do narcotráfico lá.

A realidade das ruas é tão grande que busólogos iludidos com a padronização visual, vendo que não estão com a população - Jair Bolsonaro e Fernando Henrique Cardoso que o digam - , agora disparam comentários ofensivos e grosseiros na Internet, chamando os opositores da padronização visual de "infantis", "doentes", "paranóicos", "saudosistas" e coisa e tal. Quando, na verdade, são os próprios adeptos da padronização visual que detém tais adjetivos.

A situação está feia nos ônibus cariocas. Os números das linhas foram trocados, em certos casos, até duas vezes. A padronização coloca empresas diferentes com o mesmo visual, e, dependendo da participação em consórcios, uma mesma empresa pode ter duas pinturas diferentes.

Isso faz com que o passageiro que sai de uma rotina estressante de trabalho fique à beira de um ataque de nervos, daí o pânico e a paranóia que os adeptos da padronização visual sentem, porque o que eles defendem é coisa de uma minoria. Uma minoria poderosa, mas uma minoria.

É melhor que os adeptos da padronização visual dos ônibus cariocas se inscrevam num psicanalista urgentemente e tomem cuidado para não sofrerem de enfarte. A população, está comprovado, não está no lado deles. Não adianta dizer o contrário.

4 comentários:

  1. Bem, em breve, estará em público a minha postagem do mesmo assunto que eu coloquei no blog do Alexandre Figueiredo.

    Se a população está revoltada, que coloque a sua revolta no dia 07/10/2012 que é a data das Eleições 2012 - Primeiro Turno (sem contar o dia 28/10, o Segundo Turno).

    ResponderExcluir
  2. Cabral está cuidando de tudo, são muitos os problemas de nossa cidade, tenham paciência.

    ResponderExcluir
  3. Mais uma medida super inteligente dos nossos governantes.. quer fazer igual Curitiba, então faz o sistema de pontos de ônibus igual também, só pela metade não vai funcionar, pelo contrário.

    ResponderExcluir
  4. algumas empresas pioraram o serviço no rio com a real ,isso ficou uma porcaria

    ResponderExcluir