sexta-feira, 18 de março de 2016

SOBREPOSIÇÃO DE COMERCIAIS DE AUTOMÓVEL CONGESTIONAM TELEVISÃO NO PAÍS


Continua o congestionamento publicitário dos comerciais de automóvel, que se sobrepõem em dois e três num pequeno intervalo de televisão. A sobreposição de comerciais de automóveis acaba estimulando o telespectador a usar mais o automóvel, não havendo restrição e contribuindo para o trânsito intenso que provoca muitos atrasos nos compromissos diários.

Não há uma orientação de limitação do uso de automóveis e há famílias que usam carros para levar e trazer os filhos da escola. O uso ilimitado de automóveis, que mesmo com seu tamanho relativamente grande, chegam a ser ocupados por apenas uma só pessoa, é um dos graves problemas da realidade urbana das cidades.

A sobreposição dos comerciais de automóveis na TV se dá quando dois comerciais de marcas de automóveis ocupam um mesmo intervalo comercial, que é de cinco minutos. Em certos casos, há ainda comercial de artigos relacionados aos carros, como baterias e combustíveis e inserções regionais de comerciais de concessionárias locais.

Com isso, o telespectador fica hipnotizado com tantos comerciais de automóveis. Ele então passa a comer automóvel, beber automóvel, dar automóvel como material escolar para seus filhos, construir automóvel, morar em automóvel, se perfumar com automóvel, tomar banho de automóvel.

AVISOS INSUFICIENTES

Verificando cada módulo dos intervalos comerciais do Bom Dia Brasil, no presente 18 de março de 2016, notou-se a sobreposição de comerciais de automóveis. Em dois intervalos, além de haver, em cada um, dois comerciais de rede, ou seja, transmitidos em todo o país, no Rio de Janeiro foi inserido, em cada módulo, mais um comercial de concessionária local.

Só em dois deles - Chevrolet e JAC Motors - se observou alguma aparente preocupação com melhorias no trânsito. Só que o aviso é extremamente vago e posto sem destaque: "Todos juntos por um trânsito melhor". Esse aviso é insuficiente, pois nada diz sobre as restrições das pessoas a usarem automóvel somente quando precisam.

Algumas outras marcas, como FIAT e Peugeot, se limitam apenas a citar pedestres nos avisos: "Pedestre, respeite a faixa". A marca Hyundai não fez qualquer aviso sobre restrição do uso de carro ou aviso a pedestres.

A ideia deveria ser colocar um aviso com tarja preta, a exemplo do que ocorre com as bebidas alcoólicas, advertindo às pessoas a usarem automóvel somente quando necessário, visando evitar congestionamentos.

É comprovado que nem todos que saem de carro usam como necessidade e, não obstante, é possível que cinco pessoas que usam um mesmo trajeto de automóvel possam combinar para fazer um rodízio em que apenas um usa um automóvel.

Daí que o congestionamento pode ser evitado quando as pessoas passam a ter responsabilidade e entrem em contato com amigos combinando irem juntos num carro com assentos para cinco pessoas. Assim, cada automóvel tiraria quatro de circulação, o que pode representar uma redução drástica no número de automóveis circulando, se a sociedade ajudar e se a mídia estimular a moderação no uso de automóveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário