terça-feira, 23 de agosto de 2016

E SE FOSSE NO FUTEBOL?


Pode parecer impossível, mas tudo pode acontecer. De repente, autoridades políticas e dirigentes esportivos decidem que haverá uma padronização visual nos uniformes dos times de futebol. Todos os times de cada Estado brasileiro terão rigorosamente o mesmo uniforme, que valerá até quando dois times competem entre si, e não haverá mais uniforme individualizado.

Há um anúncio afirmando que, definitivamente, os times estaduais deixarão de ter uniforme próprio, Valerá um uniforme único para cada Estado. Rio de Janeiro, terá um, São Paulo terá outro, Distrito Federal mais outro. Santos e Corinthians terão o mesmíssimo uniforme. Flamengo e Vasco idem, que valerá também para o Goytacaz (Campos), América, Bangu e Nova Iguaçu FC. E por aí vai.

O anúncio estabelece razões técnicas para tal mudança. Há frustração entre os torcedores. Há revolta na Internet. No entanto, autoridades, dirigentes esportivos e jornalistas combinam uma produção de consenso que faça com que a medida prevaleça, por mais que muita gente se sinta prejudicada.

Não faltam alegações técnicas ou mesmo argumentos de internautas para defender a padronização visual dos times de futebol. Vamos enumerar aqui os possíveis argumentos, que poderão sustentar a medida, se implantada, e torná-la definitiva e transformar em passado a lembrança de Flamengo ter um uniforme, Fluminense ter outro, Vasco outro, Palmeiras, Criciúma, Cruzeiro os seus etc.

Vejamos alguns argumentos aparentemente técnicos de autoridades e dirigentes esportivos ou mesmo argumentos agressivos de internautas que passam a defender a medida com fanatismo. Leia e analise se realmente vale a pena adotar um visual só para todo mundo, como se fez nos ônibus. São 11 motivos, já que 11 é o número de jogadores em campo neste esporte:

1) UNIFORME VIROU ROUPA DE NOITADA - Abolir o uniforme personalizado sob alegação de que só serve para alimentar a vaidade do artilheiro, vide episódios de antigas noitadas feitas por craques como Fred (então do Fluminense), Ronaldinho Gaúcho e Vagner Love (então do Flamengo). Com a padronização, há o argumento de que se acabará com o uso indevido do uniforme de cada time, já que o uniforme único para todos os clubes estaduais traria maior objetividade no seu uso.

2) DISCIPLINAR TORCIDAS ORGANIZADAS - O argumento de que a determinação de um uniforme único estadual iria disciplinar as torcidas organizadas pode também ser um forte motivo a ser divulgado, pois o uniforme individualizado de cada time seria acusado de estimular a arrogância e o fanatismo dos torcedores juvenis. A imposição de um uniforme único teria como pretexto diminuir esse sentimento e moderar a violência dos torcedores.

3) ORGANIZAÇÃO DO FUTEBOL ESTADUAL - Os dirigentes esportivos argumentariam que o uniforme único iria dar uma maior organização no futebol, definindo a diversidade dos uniformes como um caos a ser combatido. Pelo discurso oficial, a medida de um uniforme único estadual seria uma forma de dar uma aparência "limpa" para o futebol de cada Estado e uma maior disciplina na organização dos clubes.

4) MAIOR DESTAQUE PARA O JOGADOR - O discurso também investiria no argumento de que, com o estabelecimento de um uniforme único para o futebol de cada Estado, os jogadores teriam mais destaque, e não o time de futebol. Tecnicamente, soaria verossímil.

5) UMA SÓ PAIXÃO - No discurso publicitário, o uniforme único para o futebol de cada Estado poderia apelar para argumentos como "uma mesma paixão", "um só futebol" e similares, como se fosse desnecessário haver diferentes uniformes porque o futebol estadual é um lazer que une multidões.

6) NÃO IMPORTA ROUPA, IMPORTA É A JOGADA - Esse argumento poderia ser compartilhado por dirigentes esportivos, autoridades e internautas, mesmo os "troleiros" e similares. A ideia é abolir o uniforme personalizado, criando um uniforme único para cada Estado, visando que futebol não é questão de roupa, mas questão de ter um bom jogo. Diante disso, poderão aparecer na Internet desculpas como "futebol não é desfile de moda" e o cyberbullying poderia até inventar o apelido de "Clodovil" para torcedores que sentem falta do respectivo uniforme de seu time.

7) JOGADOR PODERÁ SER IDENTIFICADO POR GPS - Autoridades e dirigentes esportivos poderiam argumentar que haverá opção de serviço nos telefones celulares para identificação de cada jogador de futebol, durante uma partida, através de rede de transmissão de GPS (Sistema de Posicionamento Global). Esta argumentação pode se sustentar também nos argumentos apresentados no ítem 4, da mesma forma como pode sustentar também o fato de, num Fla X Flu, por exemplo, os dois times cariocas jogarem com o uniforme absolutamente igual.

8) MAIOR FISCALIZAÇÃO - Se no sistema de ônibus, a padronização visual deixa duvidoso o argumento da fiscalização, embora ela seja enfatizada numa retórica verossímil, imagine se disserem que o uniforme único para o futebol de cada Estado for uma medida adotada para permitir a fiscalização e disciplina, principalmente se mostrar em destaque ou o logotipo da CBF ou o da federação estadual de futebol.

9) FACILITAR TRANSFERÊNCIA DE JOGADORES DE UM CLUBE PARA OUTRO - Os dirigentes esportivos poderiam argumentar que o uniforme único pode facilitar a transferência de um jogador de um clube para outro, sem precisar muito gasto de roupa. Em certos casos, pode-se colocar um adesivo com o número do clube e da camisa de cada jogador, e trocar quando ocorrer uma mudança, por exemplo, do Flamengo para o Vasco.

10) PROMESSAS DE UM FUTEBOL MAIS COMPETITIVO E TÉCNICO - O estabelecimento do uniforme único para o futebol de cada Estado pode também significar uma promessa de que, ao enfatizar o órgão estadual em detrimento de cada clube (que deixará de ter uniforme próprio), irá também estimular uma visão mais técnica do futebol, tornando os clubes mais competitivos e profissionais. Este argumento se sustenta também pelas alegações expostas no item 6.

11) MAIS CONFORTO PARA OS TORCEDORES - Assim como se argumenta a pintura padronizada nos ônibus usando como "moeda de troca" os ônibus articulados (BRT) e com ar condicionado, pode-se argumentar a adoção do uniforme único para o futebol estadual com melhores estádios, um futebol mais ágil e maior comodidade para os torcedores. Podem ser argumentos confusos, mas eles seriam transmitidos a partir de um discurso verossímil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário