quarta-feira, 26 de outubro de 2011

É ESSE O "MODERNO" TRANSPORTE QUE PREVALECERÁ EM 2014?





A concentração de poder dos secretários de transportes sobre o serviço de ônibus em cada cidade ou região metropolitana já começa a pôr em xeque. São Paulo torna-se um dos recordistas em acidentes, o que mostra o quanto a SPTrans, embora tenha maior poder sobre as empresas de ônibus, não têm muito fôlego para cuidar do sistema de ônibus da maior cidade da América Latina.

Hoje houve mais um dos inúmeros acidentes ocorridos na capital paulista. Pelo menos sete pessoas ficaram feridas na batida de dois ônibus - um deles da Marcopolo Torino LN - na Av. Celso Garcia, no bairro do Belém, Zona Leste da cidade. Aliás, é justamente o consórcio dessa zona de bairros que, segundo o jornalista Adamo Bazani, é onde há maior corrupção nas empresas de ônibus, mascarada pela padronização visual.

É justamente o sistema de ônibus de São Paulo que inspirou diretamente o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, a fazer o mesmo com os ônibus cariocas, fardados com o tal "visual padronizado", controlados a mão de ferro pelo secretário de Transportes Alexandre Sansão e o resultado pode ser visto nas ruas, com muitos ônibus enguiçados, vários deles com apenas poucos meses de fabricação.

A coisa também estava ficando feia em Curitiba, quando o colapso foi anunciado por rodoviários e até especialistas. Alguns acidentes trágicos até ocorreram. Mas aí veio a festa paliativa das gigantescas compras de carros novos (será que tem lavagem de dinheiro por aí?), para salvar a pele de Jaime Lerner para, ao menos, a copa de 2014.

Em Teresina, também veio a compra tendenciosa de carros Volvo, pois motor sueco é muito usado para esse modelo tecnocrático de transporte não como promoção de qualidade no serviço, mas como sensacionalismo para fazer notícia nas revistas e outros periódicos de transporte do Brasil e do mundo.

Tudo isso para que o passageiro sinta maior "conforto" na hora de pegar um ônibus errado. Se é para os passageiros de ônibus sofrerem com os ônibus fardados de empresas cujos nomes são ocultos ou ofuscados, então que sofra "com categoria". Para garantir a vaidade dos tecnocratas e políticos que se beneficiam com esse modelo de transporte herdado da ditadura militar.

Fonte: Blog Menos Automoveis nas Ruas do colaborador Alexandre Figueiredo.

2 comentários:

  1. Quanta bobagem meu camarada!!!
    Use sua insatisfação para algo mais útil como denunciar as deficiências do sistema de saúde, educação, distribuição de renda e etc...
    Gente morrendo em porta de hospital e vcs preocupados com cor de ônibus?
    Pergunto: Quem se preocupa com ônibus????

    ResponderExcluir
  2. Transporte també é saude se vocÊ não sabe. Se o transporte não funciona bem, você não vai para ecola, para o hospotal e para o trabalho. Por isso também é uma luta justa. Afinal estamos numa democracia, mesmo que na prática ela nã exista. Cada um tem o direito de lutar pelo que quiser. Se fosse por artistas ou times de futebol você não estaria aque nos atacando, não é mesmo?

    ResponderExcluir